Fotovoltaica: em 2011 A Itália é o primeiro do mundo

Itália, no topo do mundo por capacidade instalada. O mercado fotovoltaico italiano é, portanto, o primeiro de 2011. Deixando para trás a Alemanha, que nos últimos dois anos detinha o recorde mundial, o nosso país saltou para a primeira posição, com 6,9 GW de capacidade instalada.

Para confirmá-la após o anúncio da EPIA dos últimos meses também foi um relatório de IHS iSuppli, que analisou as tendências do mercado fotovoltaico em todo o mundo. De acordo com estimativas, portanto, tendo em conta a instalação de sistemas solares fotovoltaicos na Alemanha em 2011, o poder pode ter diminuído em 20%, de 7,4 GW em 2010 para 5,9 este ano.

A Itália tem, portanto, aproveitado a travagem alemã a crescer para cerca de 6,9 ​​em 2011, dobrando o ano passado 3.6. Somente na terceira e quarta trimestere este ano, de fato, as instalações italianos atingiram cerca de 2 GW. Na esteira dos dois gigantes, nós ea Alemanha, posicionaram os Estados Unidos, em terceiro lugar com 2,7 GW em 2011, a China ficou em quarto lugar com 1,7 GW, o Japão em quinto lugar com 1,3 GW e França, em sexto, com cerca de 1,0 GW.

No geral, as novas instalações globais este ano nos permitirá chegar a 23,8 GW de energia, 34 por cento mais que em 2010, quando ajustada em torno de 17,7 GW.

O mérito do registro italiano, de acordo com especialistas da IHS iSuppli, deve ser o governo que favoreceu a energia fotovoltaica com incentivos, empurrando-o acima de um gigante como o alemão. Este último, de acordo, Dr. Henning Wicht, diretor e analista principal para a energia fotovoltaica no IHS, até agora tem sido "impulsionada por investidores institucionais para apoiar iniciativas verdes" trazendo Alemanha liderou o ranking mundial no mercado fotovoltaico desde 2009. Mas hoje não existem as mesmas condições. Wicht continua: "As instalações no país estão paralisadas no primeiro semestre de 2011. E enquanto a recuperação do mercado ocorreu no segundo semestre, o aumento não foi suficiente para gerar crescimento que cobriria todo o ano."

Enquanto isso, a Itália colocou a seta e preparado para ultrapassar: "Enquanto isso, incentivos atraentes do governo italiano têm impulsionado as instalações do país maciçamente, dando-lhe a posição mais alta no ranking mundial."

Fico feliz em ser o primeiro de uma vez. Mas alcançar este objetivo é apenas um ponto de partida. Embora a Itália é o primeiro do mundo no mercado fotovoltaico, não é na produção de painéis solares fotovoltaicos. Primazia nas mãos da China, também por causa dos custos de produção reduzidos.

A esperança, à luz deste resultado positivo, é que a indústria fotovoltaica italiano pode se tornar competitiva através da inovação que permita a produção de módulos mais eficientes. Uma terra de santos, poetas, marinheiros, e, esperamos, também dos produtores de energia limpa.

(0)
(0)
Comentários - 0
Sem comentários

Adicionar um comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000